pristiq x lexapro


desvenlafaxine rash


pristiq information


desvenlafaxine base extended release tablets


pristiq 4 weeks


pristiq kidney pain


pristiq other uses


desvenlafaxine pregnancy


pristiq dreams


desvenlafaxine india


desvenlafaxine oxalate


pristiq pregnancy


desvenlafaxine get high


pristiq patent expiration


pristiq


pristiq for ocd


pristiq 50 mg reviews


desvenlafaxine discontinuation syndrome


desvenlafaxine dose


purchase desvenlafaxine


pristiq desvenlafaxine para que sirve


desvenlafaxine recreational use


desvenlafaxine indications


desvenlafaxine 2012


pristiq jittery


desvenlafaxine onset of action


desvenlafaxine drug bank


pristiq 100mg


desvenlafaxine structure


desvenlafaxine menopause


desvenlafaxine blog


desvenlafaxine adverse effects


pristiq blood thinner


buy pristiq


pristiq desvenlafaxine 50 mg


pristiq online coupon


pristiq blood pressure


pristiq pharmacology


pristiq youtube


desvenlafaxine generic price


pristiq generic


pristiq 50 mg extended release


desvenlafaxine weight


pristiq brain zaps


pristiq 75 mg


pristiq 50mg reviews


desvenlafaxine clonazepam


desvenlafaxine drug class


buy pristiq online australia


desvenlafaxine hair loss

Grupo do Paranoá convida Professor Israel para conhecer projeto de cultura afro-brasileira

Grupo Tamnoá

O Professor Israel esteve reunido na noite dessa quarta-feira (20) com os representantes do Grupo Organização Cultural e Ambiental Tambores do Paranoá (Tamnoá) para discutir a importância da difusão da cultura afro-brasileira e conhecer as iniciativas educacionais em meio ambiente.

Durante o encontro, o grupo expressou a preocupação pela falta de iniciativas que protejam e ajudem a divulgar projetos de cultura afro-brasileira e de meio ambiente. O Professor lembrou da existência da lei federal 10.639, que obriga as escolas a incluírem em seu programa de ensino a temática de história e cultura afro-brasileira, e afirmou que muitos colégios descumprem por puro desconhecimento. �Não podemos deixar passar branco. Precisamos valorizar a herança africana na nossa sociedade�, reforçou.

O grupo Tamnoá oferece cursos e oficinas gratuitos de musicalidade, dança e luthieria (fabricação artesanal de instrumentos musicais percussivos) para a comunidade do Paranoá e do Itapoã.  Atualmente, o grupo atende mais de 300 crianças, entre meninos e meninas carentes da região. O local ainda ostenta o selo de Ponto de Cultura, através do convênio firmado com a Secretária de Cultura do DF.

GabNET – TR

Professor Israel apoia a segunda edição do projeto Maratona do Cinema

maratona do cinemaO Projeto Maratona do Cinema retorna a Brasília em sua segunda edição e novo formato. A partir desta quinta-feira (13), a população da capital federal volta a receber esse programa que visa difundir a cultura por meio de exibições cinematográficas gratuitas. Desta vez, o projeto vai atender não somente os estudantes da rede pública de ensino como também a comunidade em mais de dez pontos no DF, beneficiando cerca de 36 mil pessoas.

Apoiador do Maratona desde a sua primeira edição, o deputado Professor Israel evidencia a relevância do projeto. â��Essa nova etapa vem para reforçar a importância de aliar educação e cultura como instrumentos capazes de despertar nos estudantes um novo olhar sobre o mundo. E, agora, a sociedade também se beneficiará com a democratização do acesso à cultura”, avaliou.

Durante a primeira fase, que acontece deste mês até maio, serão contemplados os moradores da Candangolândia, Guará I e II, Riacho Fundo I e II, Recanto das Emas, Samambaia Norte e Sul, Cidade Estrutural, Taguatinga Norte e Sul, Ceilândia Norte e Sul, Cruzeiro Novo e Velho, Sobradinho I e II, Planaltina, Paranoá, Itapoã e Plano Piloto. As exibições ocorrerão em um ônibus equipado com a maior tela itinerante do Brasil e haverá uma arquibancada móvel com capacidade para 600 pessoas.

Já a segunda parte do projeto acontecerá entre os meses de abril e junho, beneficiando cerca de 12 mil alunos. Haverá a exibição de filmes nacionais nas escolas das regiões administrativas de Ceilândia, Samambaia, Guará, e Plano Piloto.

Veja abaixo a programação do cinema itinerante nas cidades

maratona do cinema programacao

GabiNET � AB com Ascom Maratona do Cinema

Aberta a temporada de música itinerante nos parques do Distrito Federal

Crédito da imagem: Márcio H Mota

Crédito da imagem: Márcio H Mota

Os moradores do Sudoeste foram contemplados com a primeira edição do projeto �Orquestra do Parque�. O evento aconteceu nessa sexta-feira (14) e contou com a apresentação da Orquestra Sinfônica do Teatro Nacional Cláudio Santoro. Presente no evento, o deputado Professor Israel parabenizou a iniciativa. �Essa ação alia cultura e sustentabilidade, duas frentes que caminham juntas�, avaliou.

O projeto, que é uma parceria entre as Secretaria de Cultura e Meio Ambiente, será itinerante e levará música aos parques das diversas regiões do DF. A apresentação teve a regência do maestro Cláudio Cohen.

Além do espetáculo, o governo entregou à população o sistema de iluminação do Parque do Bosque Sudoeste que foi dividido em duas partes: uma para atender todas as dependências e outra destinada exclusivamente para as pistas de corrida. Com isso, os freqüentadores poderão utilizar o local também no período noturno.

GabiNET – AB com Ascom Secretaria de Meio Ambiente

Israel: �Banda Sinfônica de Brasília é patrimônio imaterial do DF�

bandasinfonicaem2011A década de 60 marcou a inauguração da Capital do país no meio do cerrado. A Banda Sinfônica de Brasília surgiu nesse cenário de estruturação da cidade, em 1968. De lá pra cá a banda passou por idas e vindas, prêmios, músicos no exterior e alguns anos de intervalo, mas nunca perdeu o caráter de formar jovens talentos na música. O deputado Professor Israel reconhece a importância da orquestra para a cidade e, por isso, apresentou projeto de lei a fim de que a Banda Sinfônica de Brasília seja declarada patrimônio imaterial do Distrito Federal.

Para Israel, é importante promover e proteger a memória e as manifestações culturais. �Ao se declarar oficialmente algo como patrimônio imaterial ou intangível abre-se a compreensão de manter a identidade e, ao mesmo tempo, buscar a continuidade daquela manifestação, grupo ou movimento�, explica. �A Banda Sinfônica faz parte da história de Brasília e, sem dúvida, é um patrimônio imaterial do DF que precisa ser preservado e incentivado�.

História
Segundo o estudioso Marcos Araújo, que defendeu sua tese de mestrado na UnB em 2011 sobre a trajetória e práticas socioculturais da Banda, ela foi construída no âmbito do ensino público e seu desempenho artístico ocorreu entre 1968 e 1987, resultando na obtenção do 1º Prêmio no II Campeonato Nacional de Bandas, promovido pela Funarte (Fundação Nacional de Artes) em 1978, fato inédito para uma instituição com tradição artística recente.

Durante 25 anos a banda passou por um intervalo sem atuação e suas atividades só foram retomadas em 2010, justamente motivada pelo desenvolvimento da tese de Araújo, na época em curso junto à UnB.


Fonte: GabiNET – VM

Estudantes da rede pública terão aulas de música

Crédito da imagem: http://migre.me/e4aa5
Orquestra sinfônica da Venezuela

A partir do segundo semestre deste ano, estudantes da rede pública de ensino do DF participarão do projeto �Música, Educação e Cidadania�. Inspirado no Sistema Nacional de Orquestras e Coros da Venezuela, o programa tem o objetivo de promover educação musical, além de reduzir a violência e o tempo ocioso das crianças e adolescentes. As aulas vão ocorrer no contraturno escolar e a pretensão é atingir, até 2014, 500 mil alunos.

Em 2011, o deputado Professor Israel esteve na Venezuela para conhecer o projeto. Ele pode perceber que os cursos (com até sete anos de duração) oferecidos para cerca de 400 mil pessoas, permitiam não só a profissionalização como também a transformação social. �Foi uma das experiências mais bonitas que já vi. Tive a oportunidade de conversar com uma brasileira que havia sido presa por tráfico de drogas e percebi que ela sairia daquele lugar uma violoncelista e não uma ex-presidária�, relatou. O Sistema resultou na criação de mais de 100 orquestras e, destas, 30 são sinfônicas.

Projeto de lei

Em consonância com esse projeto, tramita na Câmara Legislativa, PL do deputado Professor Israel que pretende inserir o ensino da música nas escolas. Como forma de valorizar o patrimônio cultural, o texto prevê que os alunos da educação básica tenham no currículo escolar além de aulas de música, oficinas de artes cênicas, artes visuais e audiovisuais, além de patrimônio artístico, arquitetônico e cultural. Caso seja aprovado, a medida se tornará política de Estado e não de governo.

GabiNET – AB

Passe livre para estudantes de cursos preparatórios de vestibular

Crédito da imagem: http://migre.me/dPRcS

Em Brasília, a Lei do Passe livre está em vigor desde 2010. Estudantes dos Ensinos Fundamental, Médio e Superior, além de cursos técnicos e profissionalizantes são beneficiados com a medida. No entanto, há uma parte totalmente negligenciada, os alunos de cursos preparatórios para vestibular. Pensando neles, o deputado Professor Israel apresentou projeto de lei para estender o direito a todos. “Esses estudantes sofrem um apagão do Estado entre o Ensino Médio e a universidade. Ã� justo que olhemos para elesâ��, considerou Israel.

Além da gratuidade na utilização do transporte público, os estudantes poderão pagar metade do valor nos ingressos de museus, teatros, cinemas e estádios. Para Israel, a cultura e o lazer exercem papel importante na formação daqueles que almejam uma vaga na universidade.

O recebimento do benefício será para alunos que se encaixarem em um padrão: a renda mensal não pode ultrapassar o valor de um salário mínimo e a obrigatoriedade de estar matriculado em um curso preparatório localizado no Distrito Federal.

GabiNET – AB

Intervenção na Faculdade Dulcina de Moraes

Crédito da imagem: http://migre.me/dNfhd

O governo do Distrito Federal anunciou nessa quinta-feira (21) que vai assumir o projeto pedagógico da faculdade Dulcina de Moraes. A instituição que está com muitas dívidas e em péssimo estado de funcionamento, foi inaugurada em 1970 e se tornou pioneira no ensino superior de teatro no Brasil. A intervenção, que vai vigorar a partir do próximo semestre, é fruto do diálogo com a comunidade acadêmica e da interlocução de alguns parlamentares com o governo, entre eles, o deputado Professor Israel.

“Não podemos abandonar um patrimônio da nossa cidade. Ã� preciso, cada vez mais, valorizar a arte e a educação e dar oportunidade para que nossos estudantes tenham uma formação de qualidade”, avaliou.

A instituição será a primeira faculdade distrital de artes do DF e espera retomar os tempos áureos, quando tinha 1.500 alunos matriculados. Hoje, esse número chega a pouco mais de 200. A intenção também é de resgatar o legado da atriz, diretora e professora que dá nome a faculdade, Dulcina de Moraes, já que o acervo pessoal está abandonado.

GabiNET – AB

Brasília é sede do 11º Festival de Bonecos

Crédito da imagem: Aline Bezerra

Brasília é a sede do 11º Festival Internacional de Bonecos. O lançamento aconteceu nessa segunda-feira (12), no Teatro Nacional, e segue com apresentações até o dia 28. O deputado Professor Israel que participou do evento, apoiou a realização do festival por meio de emenda parlamentar. Ele acredita que promover a cultura, em muitos aspectos, é também incentivar a educação.

�Acredito que a formação cultural torna as pessoas mais críticas e as desenvolve intelectualmente. � assim que vejo o Festival Internacional de Bonecos, com esse papel de difundir a cultura popular e, consequentemente, proporcionar novos recursos de aprendizado�, defendeu o parlamentar.

A previsão é a de que mais de 100 mil estudantes da rede pública de ensino do Distrito Federal assintam ao evento, que é itinerante e vai passar por oito regiões administrativas: Guará, Taguatinga, Ceilândia, Brazlândia, Planaltina, Sobradinho, Santa Maria e Varjão.

A programação inclui 196 apresentações com linguagens e manifestações da cultura popular do Brasil e do mundo. Aos participantes também serão oferecidas oficinas de confecção e animação de bonecos e de brinquedos populares, além de atividades com pernas de pau. A entrada é gratuita e a censura é livre.

GabiNET – AB

Projeto Maratona do Cinema chega a capital federal

Divulgação

Alunos da rede pública de ensino do DF participarão até janeiro de 2013 do projeto cultural Maratona do Cinema. As primeiras exibições ocorreram no dia 30 de outubro no Centro Educacional 05, em Taguatinga. A iniciativa, que tem a participação e apoio do deputado Professor Israel, proporciona aos estudantes a possibilidade de experimentar um novo olhar sobre o mundo, além de atuar como propagadora da cultura regional com projeções gratuitas e de caráter educativo.

�Sem dúvida, esse projeto é capaz de contribuir na concepção crítica dos estudantes e no estímulo à criatividade. As sessões são um importante instrumento para complementar o currículo escolar�, observa o Professor Israel, autor de emenda parlamentar destinada ao projeto.

O Maratona de Cinema pretende realizar diversas apresentações no DF, de filmes de longa e curta metragem, nacionais e internacionais, em sessões itinerantes, para alunos com idade entre 6 e 17 anos, especialmente em localidades onde o acesso à cultura é escasso. Ao todo, serão 120 exibições, com duração média de 60 a 90 minutos, válidos como hora aula.

Na programação, a preferência é para produções nacionais de cunho social e regional, documentários e filmes que tratem de temas ligados à história ou de regiões do Brasil, para que, além de receber informações, o público se identifique e reafirme a sua própria identidade cultural. Projeções com trabalhos locais também estarão dentro do cronograma, como o filme brasiliense â��Um Assalto de Fé”, com locações na cidade satélite de Ceilândia.

Realizado Pela Associação Latino Americana, o Maratona de Cinema almeja atender cerca de 12 mil alunos das escolas públicas.

Confira a matéria do DFTV (Globo) sobre o projeto:

http://globotv.globo.com/rede-globo/dftv-1a-edicao/t/edicoes/v/cinema-de-brasilia-comeca-maratona-por-escolas-publicas/2216112/

GAbiNET – RT

Estudantes recebem obras literárias no Dia do Livro

Foto: Renato Perotto

No Dia Nacional do Livro (29), quem passou pelas entrequadras 707/708 sul foi presenteado com uma obra literária. Promovida pelo deputado Professor Israel, a ação contou com inúmeros livros espalhados em uma árvore com a intenção de incentivar a leitura. “Quem dera os livros nascessem em árvores”, disse Israel.

Os títulos acabaram em pouco tempo e muita gente saiu contente com o â��presenteâ��, como o caso da estudante Luana Carolina Alencar, de 14 anos. Ela gosta de ler e acredita que o livro proporciona uma outra perspectiva de vida. “A leitura nos mostra outro mundo, além deste que a gente vive. Quando leio, viajo na história e sempre saio melhor”, afirmou.

A leitura e os brasileiros

A pesquisa Retrato da Leitura no Brasil, divulgada neste ano pelo Instituto Pró-Livro em parceria com o Ibope Inteligência, demonstrou que o brasileiro está lendo menos. De acordo com o levantamento, em 2007, 55% da população afirmaram ter lido ao menos uma obra a cada três meses. Já em 2011, o índice caiu para 50%. Entre os pré-adolescentes de 11 a 13 anos, a quantidade de livros caiu de 8,5 para 6,9. Já nos adolescentes de 14 a 17 anos, houve uma queda de 6,6 para 5,9.

Confira o vídeo da ação:

GabiNET – AB