Cursinho beneficente tem aula inaugural de atualidades com Professor Israel

Márcio H. Mota

Foi realizada na noite de ontem (23) a aula inaugural do cursinho comunitário, da Paróquia Verbo Divino, localizada na Asa Norte. Convidado para dar a palestra de abertura Professor Israel falou de atualidades, disciplina presente na maioria dos concursos públicos.

O curso, em atividade há 15 anos, atende pessoas carentes. Todos os professores e palestrantes convidados dão aulas como voluntários, ou seja, não recebem nada por isso. Orgulhoso de poder participar de uma ação beneficente, o parlamentar diz como é importante uma iniciativa que oferece a oportunidade de mudança de vida. “É muito gratificante estar à frente da sala e olhar aquelas pessoas que desejam crescer e que se não fosse por esta chance, não teriam como pagar um cursinho”.

Tânia Fernandes está há dois anos no curso e já passou em três concursos públicos. “Os professores são ótimos. Eles fazem uma boa ação nos dando aulas e nós retribuímos nos esforçando. Eu passei e agora estou esperando ser chamada”, falou animada com o início do semestre letivo.

Aprovada em quatro concursos, Vera Lúcia Brasil contou que resolveu estudar depois que foi acompanhar a sobrinha. “Assisti uma aula de direito e me apaixonei. Vim para preencher o tempo e evitar a depressão e nunca achei que iria passar! Vou continuar até ser aprovada em uma boa colocação”.

Além das aulas no período noturno, o curso ainda oferece lanche para os participantes. A diretora, Iza Duarte, conta que participam alunos de todo Distrito Federal. A presença do Professor Israel, segundo ela, serviu para motivar os estudantes. “Fiquei muito feliz com a presença dele. A aula é ótima e nós sentimos que ele, como parlamentar, apoia nossa iniciativa”, destacou.

G@biNET – AC

Professor Israel é convidado para debate sobre a Lei Geral dos Concursos

Em tramitação no Congresso, o projeto da Lei Geral dos Concursos (PL 252/2003) será tema de seminário amanhã (7), às 15h, no auditório da Vestcon na 509 Norte. O evento pretende debater o direito e a situação de concurseiros e concursados, e o deputado Professor Israel fará parte da mesa de discussão. Representante da Câmara Legislativa, foi ele quem garantiu regras mais claras para os certames realizados no Distrito Federal.

O PL 252/2003 propõe importantes mudanças na forma com vêm sendo organizados os concursos públicos em território nacional. “É importantíssimo promover o debate e conscientização cidadã sobre a aprovação deste projeto. Só quem conhece a fundo a realidade de quem faz concurso sabe a importância de ter regras claras. Aqui no DF já conquistamos avanços com a lei local, agora vamos levar o nosso exemplo para o Brasil”, afirma Israel, que é também professor em cursos preparatórios de Brasília.

Entre as propostas do projeto de lei estão a exigência da publicação do edital com o prazo de antecedência mínima de 60 dias em relação à primeira prova; o fim de concursos públicos somente para cadastro de reserva; ou a anulação de questões mal redigidas ou que admitam dupla interpretação por parte do candidato; entre outras.

Além do Professor Israel, estarão presentes o professor Ernani Pimentel, presidente da ANPAC – Associação Nacional de Apoio e Proteção aos Concursos – e do grupo Vestcon, e os deputados federais Policarpo e Paes Landim.

10247278_697963643602186_6941994964240374869_n

Professor Israel pede que Ministério Público investigue concurso para professores

MPDFT concurso professoresO concurso para professores da rede pública de ensino realizado no dia 8 de dezembro tem gerado muita repercussão. São diversas as denúncias de prováveis irregularidades cometidas tanto por quem estava fazendo a prova quanto pela banca organizadora, o Instituto Brasileiro de Formação e Capacitação (IBFC). Após ter acesso a fotos e vídeos que demonstravam as supostas fraudes, o deputado Professor Israel protocolou representação no Ministério Público pedindo que o caso seja investigado.

Israel teme que essa situação possa ferir a Lei Geral dos Concursos Públicos no DF. “Lutamos muito pela aprovação de uma legislação que protegesse os concursandos. Agora, precisamos estar atentos e fiscalizar para que ela não seja descumprida”, alegou. O parlamentar acompanhará as investigações que serão conduzidas pelo promotor Alexandre Gonçalves.

Denúncias

Dentre as diversas reclamações, a mais comum é de que os celulares não foram armazenados de maneira adequada. Cada candidato ganhava um saco transparente e sem lacre para guardar o aparelho, mas faltou fiscalização a fim de garantir o cumprimento da regra. A professora Nathália Vieira relatou ter ouvido o celular tocar durante a realização da prova. “Os fiscais perceberam que era dentro da sala, mas não fizeram nada. Ficou por isso mesmo”, conta.

Há denúncias de plágio nas questões, algumas foram copiadas de certames que ocorreram em outros estados. É o caso da prova de matemática, que tinha itens iguais aos do concurso realizado em Minas Gerais para a Fundação Helena Antipoof, também aplicado pelo IBFC.

Ainda segundo relatos, a prova foi mal elaborada. “Além dos erros de digitação, encontramos erros de português”, relatou a candidata Eliane Maria de Andrade, que afirmou ter se dedicado durante muito tempo para fazer o concurso. “Nos sentimos desrespeitadas”, disse.

GabiNET – AB

Vitória: concursados no lugar de professores aposentados

Crédito da imagem: Renato Perotto

A batalha pela nomeação dos professores aprovados no último concurso, realizado em outubro de 2010, conquistou mais uma vitória no último dia 21. É que foi aprovado na Comissão de Economia, Orçamento e Finanças (CEOF) da Câmara Legislativa projeto de lei que obriga a Secretaria de Educação a nomear, no prazo de 30 dias, professores aprovados em concurso no caso de aposentadoria de outros docentes e na criação de novos cargos. A proposta é do deputado Professor Israel.

Para o parlamentar, “é inaceitável que alunos da rede pública de ensino percam uma enorme quantidade de professores e não haja, imediatamente, a contratação de novos profissionais”. O projeto segue agora para a Comissão de Constituição e Justiça e, depois, será apreciado no plenário.

GabiNET – AB

Pela nomeação dos professores aprovados em concurso

O deputado Professor Israel vem trabalhando em defesa da nomeação dos professores aprovados em concurso. Como uma das primeiras ações do mandato, ele apresentou projeto de lei que obriga a Secretaria de Educação a nomear o professor concursado, no prazo de 15 dias, a partir da aposentadoria de outro docente. Além disso, em emenda feita à Lei de Diretrizes Orçamentárias para o ano de 2012, Israel possibilitou ao GDF a contratação de mais de 1.100 professores.

Outra preocupação é com a enorme quantidade de professores temporários que ocupam a vaga do concursado. Em resposta, ele protocolou projeto de lei que determina a publicação do motivo legal de tal substituição. “Com isso, será possível ter mais controle do período em que o temporário irá substituir o concursado”, afirmou. E, na última semana, Israel apresentou requerimento pedindo que a Secretaria de Educação publique um cronograma de nomeações dos professores concursados que aguardam nomeação. “Acredito que a educação é o único instrumento capaz de transformar a sociedade. E valorizando os professores, estaremos dando um passo a mais para essa transformação”, afirmou.

Crédito da imagem: Renato Perotto