tamanho da fonte:
imprimir

Professor Israel propõe solução para pagamento atrasado dos professores

Crédito da Imagem: Márcio H. Mota

O deputado Professor Israel protocolou, no início da tarde de ontem (26), projeto de lei complementar que autoriza a transferência do dinheiro de fundos do DF para pagar os professores. No mesmo horário, o governo anunciou que pretende fazer a retirada da mesma fonte e quitar os valores. “Protocolei o texto para que fosse uma provocação e logo depois veio o comunicado do GDF. Sinal de que estamos pensando em uma solução que seja imediata”, contou o parlamentar.

Na sequência, houve uma comissão geral na Câmara Legislativa com a participação do secretário de Educação, Júlio Gregório. Ele apresentou à Casa relatório com os pagamentos pendentes e que superam R$ 140 milhões, valor que deve ser remanejado dos fundos distritais para quitar a dívida com os professores.

Sobre essa transferência, Israel defendeu em plenário a votação em caráter de urgência. “Cada minuto que passa é crucial na vida dos professores que estão sem receber e na vida dos estudantes, que estão ansiosos pela volta às aulas. Sou favorável a votar o projeto assim que ele chegar a esta Casa”, afirmou Israel.

Em seu discurso, o parlamentar disse que a situação é preocupante e delicada. “Fiquei estarrecido com a notícia de que a paralisação dos professores foi tratada judicialmente. Como pode não ser legítimo os trabalhadores lutarem pelo pagamento dos próprios salários?”, indagou. Para encontrar a solução, é necessário ter criatividade, apontou Israel. “Isso significa juntar as forças do governo e entender que este assunto é prioritário”.

O parlamentar mostrou-se otimista em relação ao projeto. “Em um momento em que os servidores da educação estão sem salário, é correto manter esses recursos vinculados aos fundos?”, questionou. Ele afirmou ainda que a legislação deve atender as necessidades da sociedade. “Primeiro precisamos proteger esses salários. Qualquer lei que impeça o governador de usar os fundos vai ser derrubada. Os deputados foram eleitos para fazer ou mudar as leis em favor do cidadão”, explicou.

Ao final, Israel fez um apelo aos professores. “Independente do nosso sentimento de desrespeito à profissão e passado esse momento, que façamos um início de ano letivo especial. Vamos ensinar civilidade aos nossos estudantes”, concluiu.

Assista ao discurso:

 

Deixe seu comentário



(não será publicado)