tamanho da fonte:
imprimir

Por uma cidade viva e pulsante

balaioEstive ontem com amigos no último evento do Balaio Café, um lugar que movimentou incrivelmente a cultura da nossa cidade e que reforçou que não temos apenas concreto e monumentos, mas inspiramos e expiramos vida…

De tempos em tempos Brasília esbarra em obstáculos que criminalizam a alegria marcante de movimentos culturais e ocupação dos nossos espaços – públicos ou não –, o que traz uma neurose completa sobre o trânsito e o barulho…

É só olhar para trás e ver quantas vezes tivemos que lutar por eventos tão brasilienses: Noite Cultural do T-Bone, Galinho da Madrugada, Picnick… sem falar nos bares (e aí destaco os entraves recentes com o “baixo Asa Norte” e Balaio Café) e tantos outros locais que ficam à mercê de um pensamento que engessa e não deixa a cidade evoluir.

Digo mais uma vez por aqui: precisamos resgatar a convivência harmônica entre as pessoas e entender que declarar guerra à cultura e ao lazer não é a saída. O caminho, em hipótese alguma, será fechar os espaços e pontos que enriquecem a cultura alternativa de Brasília. Minha luta é por uma cidade que seja realmente viva e pulsante!

Deixe seu comentário



(não será publicado)