tamanho da fonte:
imprimir

O Plano do Distrito Federal do Livro e da Leitura é debatido na CLDF

Escritores, bibliotecários e livreiros se reuniram, nessa segunda-feira (10), na Câmara Legislativa para debater os desafios da implementação do Plano do Distrito Federal do Livro e da Leitura (PDLL). O objetivo do encontro foi reivindicar políticas públicas de valorização da leitura e de facilitação do acesso aos livros.

A audiência pública foi sugerida pelo deputado Professor Israel em conjunto com os deputados Wasny de Roure, Arlete Sampaio e Joe Valle. Em sua fala, Israel destacou que o momento é de repensar a forma como a leitura está sendo apresentada para os estudantes. “Devemos impor a literatura ou mostrar para as crianças e adolescentes que ler pode ser algo prazeroso?”, questionou.

O PDLL é a versão local de um Plano Nacional lançado pelo governo federal. O Plano local está estruturado em quatro eixos: democratização do acesso, fomento à leitura e à formação de mediadores, valorização institucional e simbólica da leitura e economia do livro.

O presidente da Academia Taguatinguense de Letras, Gustavo Dourado, recitou uma poesia sobre o papel do livro durante os debates e apresentou sugestões, como a criação do Instituto do Livro e da Leitura e a retomada do DF Letras, suplemento literário editado anteriormente pela Câmara Legislativa.

Já o representante da Academia de Letras de Brasília, Evaldo Feitosa, disse que o Brasil conta com várias leis sobre leitura, “entretanto, elas não estão regulamentadas nos estados”. Para ele, a leitura no Brasil apresenta um quadro alarmante. Como sugestão para reverter essa situação, ele defendeu o Programa Pró-Leitura, que tem como ponto central a criação de um calendário de leitura para os alunos das escolas públicas.

GabiNET – AB com Ascom CLDF

Deixe seu comentário



(não será publicado)