tamanho da fonte:
imprimir

Jovens Candangos têm formatura no Centro de Convenções

Crédito da Imagem: Paulo Mesquita

Cerca de 1,6 mil adolescentes de 14 a 18 anos receberam na manhã desta quinta-feira (11) a certificação do Programa Brasília + Jovem Candango, da Secretaria de Políticas para Crianças, Adolescentes e Juventude. Entre eles estava a aluna Mailza Rosa da Silva, de 19 anos, que destacou a importância da iniciativa e fez um pedido para todos os participantes: “essa ação não pode parar”. A cerimônia de entrega ocorreu no auditório master do Centro de Convenções Ulysses Guimarães.

O deputado Professor Israel, presente no evento, falou aos formandos sobre a importância da capacitação e da continuidade dos estudos. “Essa é uma importante etapa. A continuidade da formação profissional está nas mãos de vocês. Nunca parem de estudar. Essa é a forma mais segura de garantir um futuro melhor”, destacou.

Programa + Jovem Candango

O programa segue uma metodologia própria de aprendizagem reconhecida pela Unesco e pela Fundação Banco do Brasil e registrada pelo Ministério do Trabalho e Emprego. Ele é composto por aulas teóricas multidisciplinares e atividades práticas nos órgãos e nas entidades públicas do Distrito Federal. Os jovens adquirem conhecimento em diferentes áreas da administração, como contabilidade, técnicas de arquivo e protocolo, direito trabalhista e previdenciário, almoxarifado e atendimento ao público. Durante a formação, os aprendizes assinam contrato de dois anos, registrado na carteira de trabalho, cumprindo jornada de quatro horas e fazendo jus à remuneração de dois terços do salário mínimo, além de benefícios.

Três turmas iniciadas em 2014 receberam o certificado de conclusão do Programa Brasília + Jovem Candango. Ainda falta, porém, um grupo de aproximadamente 300 participantes que deve concluir os cursos de formação técnico-profissional até setembro deste ano.

Combate a evasão escolar, ao desemprego e à violência são algumas das metas do programa
O projeto inclui socialmente adolescentes em situação de risco e vulnerabilidade por meio de capacitação e oportunidade de emprego. O objetivo é combater os principais causadores da exclusão social: evasão escolar, baixa renda, desemprego e violência dos jovens do Distrito Federal.

Os adolescentes participantes do programa devem permanecer na escola, seja na rede pública ou bolsista da rede privada, para ter continuidade no Jovem Candango. Segundo o secretário de Políticas para Crianças, Adolescentes e Juventude, Aurélio Araújo, cada um dos formandos começa a construir o próprio futuro profissional a partir de agora. “O impacto do programa na vida deles e de suas famílias é algo que estará presente ao longo de suas vidas”, apontou.

A subsecretária da Juventude, Aline Bezerra, destaca que é visível a mudança social no cotidiano dos participantes. “Estes jovens renovam seus vínculos tanto em casa, quanto com a comunidade a partir do momento em que se sentem integrados à sociedade e fora da vulnerabilidade”, explicou.

G@biNet – Com Agência Brasília

Deixe seu comentário



(não será publicado)