tamanho da fonte:
imprimir

Grêmios estudantis falam das suas reivindicações na CLDF

Crédito da Imagem: Márcio H. Mota

Mais apoio e liberdade de atuação foram as principais reivindicações dos estudantes na audiência pública desta terça-feira (18), “A importância do Grêmio Estudantil no cotidiano escolar”, promovida pelo deputado Professor Israel. O evento, realizado no Plenário da Câmara Legislativa, contou com a presença de representantes de grêmios de instituições públicas e privadas, além da Secretaria de Políticas para Crianças, Adolescentes e Juventude do Distrito Federal e da Secretaria de Educação.

O parlamentar abriu a audiência contando sua trajetória como estudante na Universidade de Brasília e o quanto o movimento estudantil foi útil para a solução de problemas como iluminação pública, ônibus dentro do campus e até a redução do valor do almoço no Restaurante Universitário. “Os grêmios são uma conquista histórica que precisa ser preservada. Eles foram criados para dar voz à parte mais frágil da relação educacional, que são os estudantes. Nos últimos anos muitos perderam a noção da importância desta representatividade”, explicou.

A falta de informação sobre a atuação do grêmio por parte dos alunos e a dificuldade de promover a cultura contribuem para o enfraquecimento da representação, de acordo com Matheus Depieri, presidente do Grêmio Estudantil Darci Ribeiro, do Centro Educacional Leonardo Da Vinci, e Francisco Olavo, presidente do grêmio do Centro de Ensino Médio 12 de Ceilândia (CEM 12). “Nós estamos na periferia e não conseguimos ter acesso aos eventos culturais, como cinema, exposição de arte, museus. Temos dificuldade de ir até a cultura, por isso queremos levar a arte para dentro da escola”, falou Olavo.

Segundo contou a diretora da União Metropolitana dos Estudantes Secundaristas de Brasília (UMESB), Naiane Menezes, as escolas do Distrito Federal não têm uma sala para os grêmios, conforme previsto em lei e em muitas, esta entidade nem existe. “Infelizmente a lei está apenas no papel”, reclamou.

Adrielle Galdino, diretora de imprensa do grêmio estudantil do Elefante Branco, disse que a importância da representação começa com seu surgimento dentro da escola e que a falta de autonomia para discutir o conteúdo a ser ministrado pelos professores é hoje o maior desafio. “Quando montamos o grêmio, começamos a formação política e cidadã dos alunos também. Mas sentimos que não podemos interferir na grade, quando queremos mais aulas de redação do que projetos, por exemplo”, falou.

A secretária de Políticas para Crianças, Adolescentes e Juventude do Distrito Federal, Jane Klébia Reis, lembrou aos estudantes do comprometimento na atuação política. “É do grêmio que vai sair os grandes líderes. É na base que começa o que queremos para a sociedade e vocês, estudantes, têm essa grande responsabilidade de fazer política limpa, assumir o lugar dos que estão hoje e fazer a sociedade que queremos”, conclamou.

A subsecretária de Juventude do DF, Aline Bezerra, destacou o papel dos grêmios estudantis e contou que durante todo mês de agosto é comemorado o Dia da Juventude com ampla programação. “Queremos garantir a participação da juventude do DF em eventos como estes e na Conferência da Juventude, onde vamos discutir as políticas públicas mais importantes para os jovens”, explicou.

Liberdade de Expressão – Professor Israel anunciou durante a audiência pública que protocolou um projeto de lei que garante a liberdade de expressão dentro da escola. “Asseguro a vocês o direito de falar de política, religião, filosofia e o que mais for de interesse dos estudantes na instituição de ensino”, falou ao lembrar do PL Escola Sem Partido, em tramitação na Casa, que proíbe falar de política nas escolas. “Conto com vocês para impedirmos este PL de passar. Ele vai acabar com os grêmios e com o aprendizado da política”, destacou.

O parlamentar também contou que criou a Comissão Especial de Juventude, que dentre outras atribuições irá garantir que os grêmios estudantis funcionem conforme está previsto em lei.

Veja as fotos da audiência pública clicando aqui.

G@biNet – AC

Deixe seu comentário



(não será publicado)