tamanho da fonte:
imprimir

Audiência pública vai debater políticas de combate à Leishmaniose no DF

As políticas públicas de combate à leishmaniose no Distrito Federal serão debatidas durante audiência pública na Câmara Legislativa. O evento, de autoria do deputado Professor Israel, acontece nesta segunda-feira (dia 25), às 14h. ”Vamos tratar de um tema muito polêmico e que não envolve somente os animais, mas a população de um modo geral. O poder público precisa atuar de maneira mais enfática no combate dessa doença”, considerou.

Na capital federal, entre janeiro e outubro deste ano, 550 casos de leishmaniose foram registrados em cães, mesmo número apontado durante todo o ano passado. Já existem tratamentos comprovados para a doença, porém no DF a prática mais comum ainda é a eutanásia. “Devemos tratar isso como um problema de saúde pública, até mesmo porque essa doença também pode atingir seres humanos”, alertou Israel.

Durante o evento, representantes da Zoonoses e do Conselho Regional de Medicina Veterinária, assim como integrantes de Organizações Não Governamentais, como a ProAnima e Fala, participarão da mesa de debate. Os presentes irão analisar as medidas adotadas atualmente pelo governo no combate à doença.

A intenção, ao final, é confeccionar documento com sugestões de políticas integradas que possam solucionar o problema, considerado por diversos especialistas como uma epidemia no DF e Entorno.

A doença

A leishmaniose é causada pelo protozoário Leishmania, que é transmitido pela picada de um inseto chamado flebótomo, também conhecido como mosquito-palha. A doença acomete, com mais frequência, os cachorros, mas também infecta o homem. Os animais costumam apresentar sintomas como perda de apetite, feridas no corpo, unhas crescidas, queda de pelos e secreção nos olhos.

Em Brasília, as cidades com maior incidência da doença, são Fercal, Lagos Sul e Norte, Varjão, Sobradinho I e II, Colorado e Jardim Botânico.

GabiNET – AB

Deixe seu comentário



(não será publicado)