tamanho da fonte:
imprimir

Audiência pública defende o Transporte 24h e a Rota Cultural

Crédito da imagem: Renato Perotto

Em audiência pública realizada no dia 29 de abril para debater o transporte público 24h no DF, houve um consenso entre os participantes pela criação de um abaixo-assinado para pressionar o governo a estender o funcionamento dos coletivos. A intenção é fazer com que o Estado atenda a demanda dos trabalhadores que precisam voltar para casa de madrugada, assim como a dos cidadãos que querem exercer seu direito ao lazer e cultura em tempos de Lei Seca. A iniciativa foi do deputado Professor Israel.

O parlamentar propôs ainda a criação de um grupo de trabalho com os atores envolvidos no processo. “Vamos colher todas as demandas e produzir uma política pública eficiente”, afirmou. Israel acredita que é preciso aproveitar esse momento em que estão sendo concluídas as licitações para novas frotas de ônibus e incluir a expansão do funcionamento do transporte.

Caso a medida seja efetivada, cerca de 20 mil trabalhadores do turno da noite serão diretamente beneficiados. De acordo com o presidente do Sindicato dos Hotéis, Bares, Restaurantes e Similares de Brasília (Sindhobar), Clayton Machado, o governo precisa tomar providências. “É dever do Estado fazer com que o cidadão possa voltar para casa em segurança. Vamos lutar para que isso aconteça”, afirmou.

A criação da Rota Cultural também foi debatida durante a audiência e vai atender os cidadãos que se reeducaram para as novas regras da Lei Seca e pessoas que desejam usufruir da vida cultural da cidade à noite. O objetivo é fazer com que os ônibus circulem pelos locais onde há grande concentração de bares e restaurantes e levem os frequentadores para a Rodoviária e estações do metrô. “A lei diz que você deve deixar o carro em casa, mas o Estado não oferece alternativas de transporte à noite. Entendo essa falta de opção como toque de recolher”, defende o parlamentar.

O integrante do movimento Passe Livre Paique Duques entende que essa bandeira é legítima e a implementação da medida é urgente. “Brasília parece funcionar apenas 18 horas por dia. Reivindicamos a possibilidade de poder participar das atividades culturais em todas as regiões administrativas e em qualquer horário, seja de dia ou à noite, e que o preço desse transporte noturno seja justo”, avaliou.

Participaram ainda da audiência representantes do DFTrans, do Metrô, das Secretarias de Transporte e de Segurança Pública, da Associação Comercial do Distrito Federal e do Sindicato dos Trabalhadores com Hotéis, Bares, Lanchonetes e Pizzarias do DF.

Veja o vídeo do evento:

http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=8q0HaCMFbZI

Veja as fotos do evento:

http://www.flickr.com/photos/profisraelbatista/sets/72157633374032955/

Veja algumas matérias que saíram na mídia:

Rede Record:

http://videos.r7.com/camara-discute-transporte-24-horas-no-df/idmedia/517f0a900cf269bddeb15940.html

SBT:

http://www.sbt.com.br/sbtvideos/media/bc7fcbf252d0e95f214ec6392d2b2fe8/Lei-Seca.html

Jornal de Brasília

http://www.jornaldebrasilia.com.br/edicaodigital/pages/20130430-jornal/pdf/04.pdf

http://www.jornaldebrasilia.com.br/edicaodigital/pages/20130430-jornal/pdf/05.pdf

Jornal Coletivo

http://coletivo.maiscomunidade.com/conteudo/2013-04-29/politica/9780/CAMARA-DEBATE-TRANSPORTE-PUBLICO.pnhtml

Jornal Na Hora H

http://www.jornaldebrasilia.com.br/flip/nahorah/pages/20130501-jornalnahorah/pdf/08.pdf

GabiNET – AB

 

 

 

 

Deixe seu comentário



(não será publicado)