tamanho da fonte:
imprimir

“A sociedade não aceita esse debate. O mandato pertence ao eleitor”, diz Israel

Nos últimos dias, a sociedade deixou claro que não aceita que os projetos de resolução 81 e 82/2014 sejam discutidos pela Câmara Legislativa. Diante da polêmica, o deputado Professor Israel mostrou respeito a seus eleitores e se posicionou sobre o assunto, ouvindo e debatendo com todos os que entraram em contato com ele pelas redes, e-mail, telefone e pessoalmente.

Nesta sexta-feira (28), Israel ganhou destaque no jornal Correio Braziliense por ser um dos parlamentares que encabeça o requerimento para a retirada de tramitação desses projetos. O documento foi assinado no dia 25, quando o deputado foi à tribuna para falar sobre a questão. Israel frisou: “Não temo admitir que a mudança de posicionamento tenha ocorrido por conta do diálogo com o meu eleitor, que não foi feito pelos jornais… foi feito comigo diretamente. Argumentei com eles e, ainda depois, eles disseram ‘não’, deputado. Nós não queremos que seja assim’”.

Correio Braziliense – 28/11/2014

Veja outros destaques do discurso:

Não do eleitor
“Eu diria que eu não me furto ao debate de nenhum tema, mas esse debate também precisa ser feito com o eleitorado. Eu votei em primeiro turno a favor da resolução 81 e, depois de muita comunicação com o eleitor, depois de abrir os canais, depois de ouvir a opinião e depois de ouvir um ‘não’ redondo do meu eleitor, aquele que confiou em mim, nós tivemos que fazer uma revisão do nosso posicionamento porque a democracia não é um movimento estanque, que acontece a cada 4 anos.”

Nova democracia

“No momento em que a praça pública se torna internet, no momento em que posso ouvir o que meu eleitor está sentindo naquela hora, eu preciso entender que a democracia acontece todos os dias. Eu quero dizer que qualquer cidadão de Brasília que queira falar diretamente comigo, consegue. E consegue interferir diretamente no processo legislativo porque eu sou REPRESENTANTE. É isso que significa ser deputado.”

Sociedade soberana

“Então, essa resolução 81 demonstra à Câmara Legislativa que está nascendo uma nova forma de relacionamento dos representantes do povo com o povo… que é o relacionamento em tempo real. ‘Essa proposta não pegou bem. Essa proposta não combina com quem votou no senhor. E essa proposta nós acreditamos que deva ser retirada’. E a sociedade é soberana. Essa é a democracia que eu quero. Porque eu posso errar, eu posso tomar decisões inacertadas, eu posso mudar de opinião, mas quero que qualquer decisão definitiva que eu tome seja baseada no diálogo com os que eu represento. É isso o que eu tenho defendido.”

Confira o discurso na íntegra:

Fonte: GabiNET – VM

Deixe seu comentário



(não será publicado)